Capacidade de autocuidado de pessoas com lesão medular para higiene.

Rudhere Judson Fernandes, Rejane Maria Menezes, Dândara Nayara Dantas, Anne Karoline Araújo, Alexsandro Silva Coura, Bertha Cruz Enders

Texto completo:

HTML (Português (Brasil))

Resumen

Introdução: a lesão medular é considerada hoje um problema de saúde pública no país.
Objetivo: analisar a capacidade de autocuidado de pessoas com lesão medular quanto à higiene.
Métodos: estudo descritivo, com abordagem quantitativa, realizado com 22 indivíduos com lesão medular adscritos em 16 serviços de saúde entre unidades básicas de saúde e unidades de saúde da família de Natal, Rio Grande do Norte. Utilizou-se como instrumento de coleta de dados uma entrevista estruturada por meio da aplicação de um formulário denominado INCEVDOP-LM durante a visita domiciliar. A análise dos dados se deu por meio da epidemiologia descritiva.
Resultados: prevaleceram homens (81,8 %), paraplégicos (90,9 %), não brancos (72,7 %), com credo religioso (86,4 %) e escolaridade =10 anos (52,4 %). A maioria dos participantes foi classificada em total independência para realização das atividades referentes à higiene, com exceção da limpeza do ambiente, que mostrou total dependência.
Conclusão: os resultados podem ser explicados pelas limitações impostas pela paraplegia, o que indica a importância da promoção de estratégias, pela enfermagem, visando melhora do autocuidado e independência desses indivíduos.


Palabras clave

Traumatismos da Medula Espinal;Autocuidado;Higiene;Enfermagem

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2017 Revista Cubana de Enfermería

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.