Avaliação de um curso de capacitação: implicações para a prática

Introdução: cursos de capacitação na área da saúde proporcionam atualização técnico-científica, construção do trabalho em equipe e comunicação entre profissionais. Porém muitos cursos não são eficazes, devido à utilização de metodologias de transmissão de conhecimentos.

Objetivo: identificar os efeitos de uma ação educativa no trabalho após 120 dias.

Métodos: estudo qualitativo, que utilizou como estratégia metodológica a pesquisa-ação. Foi desenvolvido com 86 profissionais da Atenção Primária à Saúde do município de Uberaba que participaram de uma capacitação sobre a temática grupos de educação em saúde com idosos. Os dados foram coletados entre os meses de outubro de 2014 e janeiro de 2015 por meio de um questionário semi-estruturado e analisados pelo método do Discurso do Sujeito Coletivo.

Resultados: entre os participantes houve predominância de mulheres (89,5 %), faixa etária entre 37 a 50 anos (54,6 %), a maioria enfermeiros (29,1 %). Quase a totalidade (95,3 %) dos participantes referiu estar envolvida em algum grupo de educação em saúde, como colaborador (54,9 %) ou coordenador (45,1 %). Após 120 dias da capacitação observou-se nos discursos uma releitura dos grupos e diversificação nos recursos utilizados, realização dos grupos com mais conhecimento e segurança, bem como o aumento do respeito ao idoso.

Conclusão: a educação permanente realizada de forma dialógica e participativa, considerando o contexto de trabalho dos profissionais, abre caminhos para a construção de uma atenção diferenciada aos idosos, pautada no respeito a essas pessoas e na confiança de que um trabalho educativo focado na promoção da saúde é possível de ser realizado.

Francielle Toniolo Nicodemos Furtado de Mendonça, Álvaro da Silva Santos, Ana Luisa Zanardo Buso, Bruna Stephanie Sousa Malaquias
 
Episódios de cuidado a mulheres com transtornos mentais na Atenção Básica

Introdução: a reforma psiquiátrica reafirma a importância da articulação entre atenção básica e atenção especializada a fim de garantir melhoria do cuidado. O cuidado integral em saúde mental pressupõe atenção integral à saúde capaz de promover melhoria da qualidade de vida.

Objetivo: conhecer os episódios de cuidado a mulheres com transtornos mentais atendidas em uma Estratégia da Saúde da Família no município de Minas Gerais (Brasil).

Métodos: pesquisa de natureza qualitativa, do tipo documental. A coleta de dados ocorreu por meio da análise documental dos prontuários. O referencial teórico utilizado para análise e discussão foi a Classificação Internacional da Atenção Primária sob a ótica do cuidado compartilhado.

Resultados: verificou-se que a ansiedade generalizada foi atribuída a mais da metade das mulheres; em relação às queixas/sinais e sintomas psicológicos, a sensação de ansiedade/nervosismo/tensão foi o mais encontrado; a morbidade clínica mais comum foi a Hipertensão Arterial Sistêmica; as ações voltadas à saúde da mulher foram escassas.

Conclusões: há necessidade da implantação do apoio matricial na rede de atenção a fim de garantir uma assistência holística e de melhor qualidade às mulheres com transtorno mental.

Palavras chave: saúde mental; cuidado em saúde; saúde da família; classificação internacional da atenção primária.

Michele Cecília Silva Torrézio, Nadja Cristiane Lappann Botti
 HTML
 
Atenção à saúde do homem: análise da sua resistência na procura dos serviços de saúde

Introdução: a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem foi criada para direcionar as ações de saúde e reduzir os altos índices de morbimortalidade masculina. Traz a reflexão sobre masculinidade e concepções de gênero.
Objetivos:
identificar as causas que levam os homens a desenvolverem resistência no cuidado da sua saúde, e saber se as concepções de gênero trazem obstáculos à procura aos serviços de saúde.
Métodos: foi uma pesquisa descritiva com abordagem qualitativa, realizada com moradores cadastrados na área de uma unidade básica de saúde do município de Guanambi, Bahia. Foram entrevistados 25 homens de 20 a 89 anos, com o uso de formulário semiestruturado.
Resultados: os homens são resistentes no cuidado da sua saúde devido a sentimentos de medo, vergonha, e por causas comportamentais como a impaciência, o descuido, prioridades de vida, e ainda com as questões relacionadas com a forma de organização dos serviços de saúde. Observou-se que os fatores ligados ao gênero exercem forte influência, muitas vezes até como obstáculo.
Conclusões:
constatou-se a necessidade que a Política de Saúde do homem seja repensada e melhor trabalhada quanto aos determinantes que envolvem o processo saúde doença desse público e que os profissionais entendam as suas singularidades. Esta pesquisa forneceu subsídios para que outras discussões sejam feitas com o intuito de proporcionar meios para a compreensão e adoção de estratégias que visem a implementação efetiva desta Política.

Danilo Boa Sorte Teixeira
 HTML
 
Saúde mental no trabalho do Enfermeiro da Atenção Primária de um município no Brasil

Introdução: de todos os males vividos pelo homem, a loucura, a doença mental e o sofrimento psíquico e emocional parecem atingir indistintamente pessoas de qualquer nacionalidade, raça, classe social e religião. Contudo, sabe-se que os mais pobres são os que mais padecem pela falta de atenção e cuidado.
Objetivou: compreender como se desenvolve a preparação e qual o conhecimento que os enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família de Montes Claros - Minas Gerais apresentam sobre Saúde Mental para atendimento a pacientes com transtornos psíquicos.
Métodos: pesquisa qualitativa e exploratória, realizada com oito enfermeiros que atuavam na Atenção Primária à Saúde do meio urbano de Montes Claros. Os dados foram coletados no segundo semestre de 2011, por meio de entrevistas, que foram gravadas e, em seguida, transcritas. Para análise dos dados, foi utilizada a técnica de análise do conteúdo.
Resultados: os entrevistados relataram que se sentiam preparados para lidar com seus pacientes e que conheciam os principais transtornos, mas poucos foram capazes de detalhar esse conhecimento. As capacitações e curso de residência foram citados como preparação, mas a insegurança e tempo disposto para lidar com esses pacientes foram impasses para um bom cuidado.
Conclusões: é preciso maior preparação dos enfermeiros na área de saúde mental, a fim de proporcionar atendimento resolutivo aos pacientes que demandas tais cuidados.

Bianca Pereira Coelho, Ana Paula Maia da Silva, Luís Paulo Souza e Souza, Kenya Marielle Almeida e Silva, Edilaine Pereira da Silva, Ilka Santos Pinto, Rafael Messias de Oliveira, Carla Silvana Oliveira e Silva
 HTML
 
Marclineide Nóbrega de Andrade Ramalho, Thaís de Andrade Beltrão, Mariana Boulitreau Siqueira Campos Barros, Fernanda Maria Chianca da Silva, Simone Helena dos Santos Oliveira
 
Creencias del equipo multidisciplinario de atención primaria de salud en el trabajo de riesgo biológicoIntroducción: El trabajador de la salud ha despertado preocupación, ya que cuanto mayor es la elucidación de riesgo y la adopción de medidas de bioseguridad, menor será la posibilidad de enfermedades profesionales adquiridas a través de la exposición a material biológico.
Objetivo: Caracterizar las creencias del equipo multidisciplinario de trabajadores de la salud primaria sobre riesgo biológico.
Métodos: Estudio descriptivo cualitativo en siete unidades de atención primaria de salud en Goiânia-GO en 2014, a través de entrevistas en la técnica del incidente crítico, según Bardin, y como referencia el Modelo de Creencias de Salud.
Resultados: La susceptibilidad percibida de los riesgos biológicos surgió de la exposición a la sangre, que muestra la falta de conciencia; la severidad fue percibido de la experiencia de situaciones concretas de lesiones cortopunzantes; barreras percibidas para la adopción de medidas preventivas relacionadas con la disponibilidad de equipo de protección personal, calificación en la estructura física sujeto y apropiada. Los beneficios fueron percibidos por la adopción de comportamientos seguros.
Conclusión: Las creencias de los trabajadores expresan conceptos elementales, inconsistente, insegura, con la depreciación de los riesgos inherentes al proceso de trabajo y el entorno de trabajo. 
LARISSA OLIVEIRA ROCHA VILEFORT
 
Elementos 1 - 6 de 6
Consejos de búsqueda:
  • Los términos de búsqueda no distinguen entre mayúsculas y minúsculas
  • Las palabras comunes serán ignoradas
  • Por defecto, sólo aquellos artículos que contengantodos los términos en consulta, serán devueltos (p. ej.: Y está implícito)
  • Combine múltiples palabras conO para encontrar artículos que contengan cualquier término; p. ej., educación O investigación
  • Utilice paréntesis para crear consultas más complejas; p. ej., archivo ((revista O conferencia) NO tesis)
  • Busque frases exactas introduciendo comillas; p.ej, "publicaciones de acceso abierto"
  • Excluya una palabra poniendo como prefijo - o NO; p. ej. -política en línea o NO política en línea
  • Utilice * en un término como comodín para que cualquier secuencia de caracteres concuerde; p. ej., soci* moralidad hará que aparezcan aquellos documentos que contienen "sociológico" o "social"