O gerenciamento de enfermagem em projetos de pesquisa interprofissionais: relato de experiência

ARTCULO ORIGINAL

 

O gerenciamento de enfermagem em projetos de pesquisa interprofissionais: relato de experincia

 

Gestin de proyectos de investigacin en enfermera interprofesional: relato de experiencia

 

Management of nursing interprofessional research projects: experience report

 

 

Las Carolini Theis, Cludia Regina Lima Duarte da Silva

Universidade de Blumenau. Santa Catarina, Brasil.

 

 


RESUMO

Introduo: O profissional enfermeiro, como formao tem seus eixos de atuao nas reas de gerencia, assistncia, ensino e pesquisa. Cada vez mais, enfermeiros ocupam cargos de gestores nos servios de sade. E nos ltimos anos vem se inserindo em projetos de pesquisa, para desenvolver aes de enfermagem baseada em evidncias.
Objetivo: Relatar a experincia do profissional enfermeiro que exerce a funo de coordenador de um centro de exames onde so coletados os dados da pesquisa multicntrica intitulada Condies de Vida e Sade da Populao de Pomerode SHIP-BRAZIL, da Universidade de Blumenau, Santa Catarina, Brasil, em parceria com a Universidade de Greifswald, Alemanha.
Mtodo: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com abordagem descritiva, atravs do relato de experincia do profissional. O perodo de anlise foi de julho de 2013 a dezembro de 2015. A coleta de dados fez-se por relato oral, e a anlise feita a partir da anlise se contedo.
Resultados: A experincia vivenciada descreve o processo de gesto de estrutura fsica do centro de exames, gesto de custos, gesto de pessoas, gesto do cuidado e as ferramentas gerenciais utilizadas neste processo.
Concluso: o relato elucida o papel essencial do enfermeiro no processo de estruturao e manuteno do centro de exames, bem como sua postura de liderana e contribui para atuao futura de enfermeiros na rea gesto em pesquisa.

Palavras chave: Projetos de pesquisa; gerenciamento da prtica profissional; relaes interprofissionais; pesquisa em enfermagem.


RESUMEN

Introduccin: el profesional de enfermera, debido a su formacin, tiene como principales reas de actividad: las de gestin, atencin, enseanza e investigacin. Cada vez ms, las enfermeras ocupan puestos de direccin en los servicios de salud. Y en los ltimos aos se ha ido entrando en proyectos de investigacin para desarrollar acciones de enfermera basadas en la evidencia.
Objetivo: presentar la experiencia de la enfermera profesional que lleva a cabo la funcin de coordinador de un centro de exmenes donde se recogen los datos del estudio multicntrico "Condiciones de Vida y Salud Pomerode Poblacin - ENVO-BRASIL".
Mtodos: se trata de una investigacin cualitativa con enfoque descriptivo de la Universidad de Blumenau, Santa Catarina, Brasil, en colaboracin con la Universidad de Greifswald, Alemania, a travs de la experiencia profesional. El perodo de revisin: a partir de julio de 2013 hasta diciembre de 2015. La recoleccin de datos se llev a cabo mediante la presentacin de informes orales, y el anlisis del anlisis es el contenido.
Resultados: la experiencia vivida describe el proceso de la estructura fsica de la gestin del centro de exmenes, gestin de costes, gestin de personas, gestin y las herramientas de gestin utilizadas en este proceso de atencin.
Conclusin: el informe deja claro el papel esencial de la enfermera en el proceso de estructuracin y mantenimiento del centro de examen, as como su posicin de liderazgo y contribuir a la evolucin futura de las enfermeras en el manejo de las reas de investigacin.

Palabras clave: proyectos de investigacin; la gestin de la prctica profesional; las relaciones interprofesionales; La investigacin de enfermera.


ABSTRACT

Introduction: The nurse professional, as a training, has its axes of action in the areas of management, assistance, teaching and research. Increasingly, nurses occupy managerial positions in health services. And in the last few years he has been working on research projects to develop evidence-based nursing actions.
Objective: To report the experience of the nurse practitioner who performs the function of coordinator of an examination center where the data of the multicenter research entitled "Conditions of Life and Health of the Population of Pomerode - SHIP-BRAZIL", of the University of Blumenau, Santa Catarina, Brazil, in partnership with the University of Greifswald, Germany.
Methods: It is a qualitative research, with a descriptive approach, through the experience report of the professional. The period of analysis was from July 2013 to December 2015. The data collection was done by oral report, and the analysis made from the analysis if content. Results: Experienced experience describes the physical structure management process of the exam center, cost management, people management, care management and the management tools used in this process.
Conclusion: The report elucidates the essential role of the nurse in the process of structuring and maintaining the examination center, as well as its leadership position and contributes to the future performance of nurses in the area of ??research management.

Keywords: Research projects; management of professional practice; interprofessional relations; nursing research.


 

 

INTRODUO

O estudo Condies de Vida e Sade da Populao de Pomerode uma pesquisa multicntrica, desenvolvida por pesquisadores da rea da sade da Universidade de Blumenau - FURB, (Santa Catarina, Brasil), em parceria com a Universidade de Greifswald na Alemanha. O estudo tem como objetivo principal conhecer a linha de base das doenas prevalentes e seus fatores de risco da populao de Pomerode/Santa Catarina Brasil. Trata-se de uma amostra aleatria simples de aproximadamente 4.400 voluntrios, com idade entre 20 e 79 anos, que reside h pelo menos 06 meses no municpio.

Este tipo de estudo indito na universidade, trazendo consigo muitos desafios e entraves a toda equipe, que composta por diversos profissionais, entre eles pesquisadores, das diversas reas da sade, entrevistadores, examinadores, bem como servidores da universidade que trabalham com apoio e suporte ao estudo. Os examinadores desenvolvem a coleta de dados no centro de exames, localizado no hospital universitrio, em Blumenau, Santa Catarina. Esta equipe composta por duas enfermeiras, um dentista e bolsistas acadmicos, dos cursos de fisioterapia, enfermagem, educao fsica, nutrio, biomedicina e psicologia, coordenado por uma das enfermeiras.

A coordenao do centro de exames, bem como dos recursos disponveis, fluxos de trabalho, equipe interprofissional e a integralidade do cuidado ao participante de responsabilidade do enfermeiro coordenador do centro de exames. O que requer habilidades para gerenciar pessoas, conflitos, custos e principalmente o cuidado.

O papel de lder requer uma viso sistmica e global das situaes, exigindo do enfermeiro preparo, inovao e busca continua por melhores e novas formas para o exerccio da liderana, j que o modo como tal profissional conduz a equipe influencia diretamente em um sistema de cuidado s pessoas.

A gesto de projetos de pesquisa uma proposta inovadora e ao mesmo tempo um desafio, que vem de encontro formao profissional para liderana de equipes de sade e gesto de processos. Como enfermeiros, somos formados com alicerces para atuao em quatro eixos, sendo eles: assistncia, gerncia, ensino e pesquisa. Em todos os campos de atuao, atuamos muitas vezes como lderes, e como tais precisamos entender suficientemente as situaes peculiares para, assim, optar corretamente pelas estratgias mais adequadas em cada contexto.

A pesquisa ainda um campo ser explorado por ns enfermeiros. Entende-se que experincias inovadoras como esta devem ser relatadas para que outros profissionais possam ter acesso e refletir sobre as perspectivas e possibilidades de atuao profissional.

Desta forma, o objetivo do artigo descrever a experincia de atuao como enfermeira coordenadora de um centro de exames de um estudo multicntrico.

 

MTODOS

Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com abordagem descritiva, de um relato de experincia baseado na atuao profissional como enfermeira coordenadora do centro de exames do estudo Condies de Vida e Sade da Populao de Pomerode, realizado pela Universidade de Blumenau (FURB), Santa Catarina/Brasil, durante o perodo de agosto de 2013 a dezembro de 2015. Relatos de experincia revelam as aes do indivduo como agente humano e como participante da vida social. O informante conta a sua histria e o pesquisador pode desvendar os aspectos subjetivos da cultura e da organizao scia, das instituies e dos movimentos sociais.3

Os dados foram coletados a partir de um relato oral de experincia, as falas foram transcritas e utilizado a tcnica de anlise de contedo. Bem como anlise documental dos instrumentos elaborados pela enfermeira, durante seu processo de atuao como coordenadora do centro de exames.

O estudo esteve em consonncia dos princpios da Resoluo N 466, de 12 de dezembro de 2012, do Conselho Nacional de Sade. No que se refere a sigilo dos dados pessoais do entrevistado. O estudo tm aprovao no Comit de tica da Universidade de Blumenau (FURB).

 

RESULTADOS Y DISCUSIN

A experincia de gerenciamento de enfermagem em projetos de pesquisa interprofissionais

O processo de trabalho do profissional enfermeiro sustentado por quatro eixos norteadores: ensino, pesquisa, gerncia e assistncia. No processo de trabalho gerencial, os objetos de trabalho do enfermeiro so recursos humanos de enfermagem e organizao do trabalho atravs de escalas de dimensionamento de pessoal, planejamento, educao continuada/permanente, superviso, avaliao de desempenho, procedimentos operacionais padro, escalas de atribuies, entre outros.4 A organizao do trabalho empregada com a finalidade de criar e subsidiar condies adequadas produo do cuidado e de desempenho da equipe.5

O perfil gerencial pode ser definido como o conjunto de atitudes, aptides e habilidades mediante as quais o enfermeiro desenvolve a gesto dos servios de sade. Alguns elementos do perfil gerencial so: liderana, motivao, comunicao, capacidade para lidar com conflitos, conhecimento tcnico-cientfico para avaliar e identificar necessidades de sade da populao e tica. Esses elementos propiciam qualidade da assistncia, baseada na competncia profissional, na satisfao do cliente e no fortalecimento e desenvolvimento do servio de sade. O profissional enfermeiro, a partir de sua formao, demonstra habilidade sobre o gerenciamento, pois, assume o papel de lder da equipe de sade.6

Todavia, ao refletir-se sobre a atuao do enfermeiro em pesquisa, observa-se que os profissionais esto em ascenso nesta rea. Nos ltimos trinta anos, a pesquisa na rea da enfermagem brasileira tem progredido em quantidade e qualidade, fato este evidenciado nas publicaes dos peridicos de enfermagem e no registro de teses e dissertaes no Centro de Pesquisa em Enfermagem CEPEN. Essa exploso da pesquisa est associada expanso e aperfeioamento dos cursos de mestrado e doutorado em enfermagem e da prtica de ps-doutorado.7

Apesar deste domnio sobre o gerenciamento de forma geral e a ascenso do enfermeiro em pesquisa, associar a atuao gerencial e de pesquisa ao profissional enfermeiro torna-se uma vivncia inovadora. Apesar da formao acadmica do profissional ser estruturada com o objetivo de abranger todas as reas norteadoras da profisso, a experincia torna-se desafiadora quando as experincias exigem a unio dos eixos.

A estruturao do projeto de pesquisa iniciou-se a partir da parceria entre a universidade da Alemanha e do Brasil firmada atravs de contrato no ano de 2011, passando por diversos processos burocrtico-administrativos, incluindo visitas de representantes da universidade alem ao Brasil, e tambm a visita dos pesquisadores brasileiros ao centro de pesquisa na universidade alem. O projeto brasileiro foi submetido FAPESC (Fundao de Amparo Pesquisa e Inovao do Estado de Santa Catarina), rgo que financia a pesquisa no estado de Santa Catarina, para compra de bens de consumo e capital atravs de termo de outorga.

A contratao dos profissionais para pesquisa feita atravs da universidade, por mtodo de contrapartida, e iniciou-se em agosto de 2013, com a incorporao de duas profissionais enfermeiras. O processo de trabalho foi estruturado em duas vertentes, uma enfermeira viajou para Alemanha, e participou de treinamentos referentes execuo dos exames, a outra enfermeira teve suas atribuies voltadas rea administrativa do projeto, estruturao do espao fsico para acomodao do centro de exames e compra dos materiais.

Neste artigo sero relatadas as experincias do profissional responsvel pela estruturao administrativa do projeto, bem como coordenao do centro de exames. Segundo relato, o processo de trabalho baseou-se inicialmente no planejamento das atividades de curto e mdio prazo. O planejamento em sade, como instrumento gerencial, constituiu e constitui importante ferramenta para a efetividade da misso organizacional. No campo da pesquisa, para alcanar os objetivos da mesma.8

O planejamento foi criado a partir de diversas reunies entre a equipe de pesquisadores, servidores e equipe de escritrio de projetos da universidade e a enfermeira coordenadora, visando elaborar um cronograma que contemplasse todas as aes necessrias para implantao do projeto, definindo prazos, investimentos e responsveis. Posteriormente, as aes aconteceram concomitantemente, sempre sob superviso da coordenadora.

A estruturao fsica para o centro de exames, localizado no hospital universitrio, foi desenvolvida em parceria com os engenheiros e arquitetos da universidade, baseando-se na Resoluo- RDC n 50, de 21 de fevereiro de 2002, da Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (ANVISA), que dispe sobre o Regulamento Tcnico para planejamento, programao, elaborao e avaliao de projetos fsicos de estabelecimentos assistenciais de sade. Vale ressaltar que a estrutura fsica j existia, porm necessitava de adaptaes para acomodao do projeto de pesquisa.

Paralelo a este processo, iniciou-se a aquisio dos equipamentos. Neste momento destaca-se o desafio imposto ao profissional enfermeiro, de desenvolver habilidades de negociao, oramentos, compra de insumos, equipamentos, mveis e eletroeletrnicos. Entende-se por negociao a busca do consenso, no qual todas as partes envolvidas cheguem a resultados positivos, ainda que, inicialmente, tenham pontos de vista e interesses no- alinhados.9

Neste contexto de estruturao do centro de exames, iniciou-se ainda o processo de seleo dos acadmicos para a funo de examinadores, treinamento e capacitao dos mesmos, propondo-se ao desafio de introduzir os acadmicos iniciao cientfica e ao mundo de trabalho. Destaca-se a preocupao por parte da organizao, em possuir profissionais capacitados para realizar aes estratgicas que agregassem valor instituio, ao invs de ser um obstculo a mais na busca de melhores resultados. Significa afirmar, que o colaborador pode ser considerado como um agente facilitador ou impeditivo para o alcance dos objetivos organizacionais.10

Portanto, importante adequar a pessoa funo, a fim de que se possam ter resultados mensurveis pontuados na eficcia e eficincia. Esta adequao comea a partir da captao dos recursos humanos, ao traar o perfil e as competncias que a organizao espera desse profissional.11 Inicialmente foram selecionados quatro acadmicos do curso de enfermagem que possuam formao em tcnico de enfermagem, considerando que a experincia profissional facilitaria a execuo dos exames.

A prtica evidenciou que a escolha no condizia com as necessidades do estudo, pois estes profissionais, alm da jornada de trabalho no projeto, e nas aulas na universidade, assumiam outros compromissos profissionais, impedindo dedicao exclusiva ao projeto. Trs deles optaram por desligarem-se do projeto, pois observaram que a soma das cargas horrias de trabalho dirio era muito superior sua capacidade enquanto ser humano. Desta forma, mudou-se a estratgia de captao, dando nfase acadmicos iniciantes e sem experincia profissional, de diversas reas da sade, com objetivo de manter dedicao exclusiva e de capacit-los conforme os procedimentos operacionais padro de cada exame.

Os processos seletivos para contratao de examinadores so realizados pela enfermeira coordenadora, com apoio de um dos pesquisadores, com formao em psicologia. Foi elaborado um instrumento para entrevista dos candidatos, com perguntas abertas, voltadas ao conhecimento prvio do projeto e atividades desenvolvidas, bem como questes de planejamento pessoal do candidato em cumprimento dos horrios e meios de transporte e caractersticas de perfil pessoal. Alm disso, realizado atividade de dinmica de grupo, onde so avaliados critrios de iniciativa, liderana e proatividade. So aplicados ainda, testes psicomtricos, que objetivam avaliar a capacidade de memria, agilidade e concentrao para os registros dos dados. Utilizam-se testes de ateno concentrada, testes de memria (ravlt) e testes de inteligncia, como o teste G 36, que defende a dominncia do fator G, fator biolgico responsvel por 50 % de nossa inteligncia total.

Para realizar a coleta de dados na pesquisa foram criados Procedimentos Operacionais Padro (POP), so eles que padronizam as aes e norteiam o processo de trabalho de todos os colaboradores. Eles descrevem individualmente a execuo de cada exame, e foram traduzidos da verso alem e adaptados realidade brasileira, para permitir grau de comparabilidade dos dados coletados. Porm, alguns procedimentos no foram disponibilizados na verso alem e precisaram ser desenvolvidos no Brasil, seguindo o modelo padro. Esses documentos encontram-se impressos e disponveis para consulta dos examinadores, bem como disponvel em rede compartilhada, com acesso todos os membros da equipe.

Tambm foram desenvolvidos alguns procedimentos operacionais padro para organizar e sincronizar o fluxo de atividades do centro de exames, alm de manuais de normas e rotinas, seguindo a legislao brasileira e as normativas da universidade. A falta de padronizao dos procedimentos, inexistncia de normas e rotinas e a no utilizao de metodologia da assistncia de enfermagem podem indicar desorganizao do servio de enfermagem devido s diferentes formas de conduta profissional. Por isso os padres so definidos visando o estabelecimento das diretrizes para o controle e melhoria contnua da qualidade, e os cuidados padronizados so diretrizes detalhadas que representam o atendimento previsvel, indicado para situaes especficas. Tais padres devem impulsionar as organizaes para o desenvolvimento da melhoria de seus processos e resultados.12

A elaborao de procedimentos operacionais padro, permitiu ainda a criao de check lists, que so utilizados para superviso e controle de qualidade na coleta de dados. Mensalmente, a enfermeira coordenadora acompanha os examinadores na coleta de dados, e com base nos check lists, avalia a desenvoltura do examinador, bem como d feedback avaliativo.

Para incio de coleta de dados, o planejamento incluiu a execuo de estudos pilotos, para analisar a qualidade dos dados coletados, e tambm o fluxo de trabalho do centro de exames, desde o transporte dos participantes do municpio de Pomerode ao centro de exames, at o fluxo de troca de salas, quantidade de voluntrios/dia, oferta de lanche, entre outros. E oficialmente a coleta de dados com a amostra dos participantes iniciou em julho de 2014.

Posteriormente, fez-se indispensvel apropriar-se da metodologia de gesto de processos, Ciclo PDCA, que envolve as etapas de planejamento, execuo, checagem e ao. O conceito de mtodo de melhorias, conhecido como Ciclo PDCA foi originalmente desenvolvido na dcada de 1930, pelo estatstico Walter A. Shewhart, definido como um ciclo estatstico de controle dos processos que pode ser aplicado para qualquer tipo de processo ou problema.13 O ciclo visa avaliar o planejamento e a execuo as atividades iniciais, identificando a demanda de mudanas de estratgias e aes.

Objetivando manter um padro organizacional adequado para acolhimento dos voluntrios, estabeleceu-se um fluxo de atendimento conforme quadro abaixo.

A estrutura do centro de exames oferta exames de ultrassonografia de cartidas, tireoide e fgado, mensurao de presso arterial, ndice tornozelo brao, eletrocardiograma, fora de preenso palmar, levantar e caminhar, espirometria, antropometria, onda de pulso, sade bucal, sade mental, preventivo de colo uterino, questionrio de frequncia alimentar, acelermetro para mensurar nvel de atividade fsica, entre outros. Destaca-se que em todos os exames h uma preocupao com a integridade e segurana do voluntrio, com respeito privacidade e individualidade de cada participante.

Aps a estruturao do centro de exames e equipe interprofissional, destaca-se a necessidade de criar indicadores de qualidade que mensurem o trabalho executado e norteiem o planejamento para aes futuras. A construo de indicadores de qualidade para a avaliao de servios de sade exige a explicitao de referenciais de apoio sob a tica dos quais, os diferentes elementos constitutivos das estruturas institucionais, dos processos de trabalho e dos resultados da assistncia prestada so resgatados e analisados.14

Com o incio da coleta de dados, novas atribuies foram demandadas ao profissional enfermeiro coordenador do centro de exames. Entre elas, reflete-se sobre a negociao de conflitos entre a equipe interprofissional. A expresso gesto de pessoas nos remete automaticamente reflexo sobre gerenciamento de conflitos, inerente ao fato de seres humanos serem predispostos a conflitos de interesses. Quando direcionamos este tema a rea de sade, com foco interprofissional, acrescenta-se ao processo novos obstculos e entraves a serem lapidados. E surge uma reflexo sobre a particularidade de cada indivduo, que quando exposta coletividade, gera conflito com diferenas de interesses pessoais e disputa por poder.15

A pluralidade de profissionais tambm um fator que contribui para a presena de conflitos. Porm, destaca-se que a interprofissionalidade uma resposta para as prticas de sade fragmentadas, sendo desenvolvida atravs da prtica coesa entre profissionais de diferentes disciplinas com foco nas necessidades do usurio, da famlia e da comunidade. Ela requer uma mudana de paradigma em termos de valores, cdigos de conduta e processos de trabalho.16

Registra-se que uma das medidas utilizadas para gerenciar os conflitos interprofissionais foi a introduo de avaliaes individuais semestrais, a partir de instrumento elaborado pela enfermeira coordenadora e pesquisador com formao em psicologia, onde os examinadores so avaliados individualmente e orientados a partir da metodologia de feedback. Realizam-se ainda o processo de auto-avaliao. Os critrios avaliados no instrumento so: apresentao pessoal (uso de crach, uniforme, uso de adornos e vestimentas adequadas); pontualidade/assiduidade; relao com os demais membros da equipe (comunicao, respeito e cordialidade); relao com voluntrios (comunicao, respeito e cordialidade); proatividade e execuo de tarefas dirias (seguimento do procedimento operacional padro e zelo de materiais e equipamentos).

O processo de autoavaliao e avaliao individual demonstrou resultados construtivos para o grupo e para as individualidades. Este processo de avaliao executado pelo enfermeiro coordenador do centro de exames, e conta com o apoio de dois profissionais pesquisadores, um psiclogo e uma enfermeira, que contribuem para um processo multifocal.

No contexto de gesto de custos, atribuiu-se ainda ao profissional enfermeiro o controle de recursos, como de estoque de materiais, compra de materiais, custos mdios por participante, custo mdios por exames. Para tanto, foram elaboradas planilhas com controle de entrada e sada de materiais, bem como planejamento dos gastos e previso de compras mensais. As planilhas descreviam os itens adquiridos, empresa fornecedora, custo individual, e prazo de validade, para controle de estoque. A gesto de custos em qualquer tipo de organizao til e proporciona ao administrador uma viso mais acurada e ampliada da realidade financeira, j que permite olhar por outro ngulo como so gastos os recursos disponveis, permitindo identificar os exageros e destinar os recursos na quantidade certa para serem aplicados nas atividades mais necessrias. A gesto de custos visa no somente gastar menos, mas principalmente gastar melhor.17

Esse estudo, indito no Brasil, descreveu a experincia de atuao de uma enfermeira coordenadora de um centro de exames de um estudo multicntrico. E permitiu reflexo sobre uma nova rea de atuao para os profissionais enfermeiros.

Reflete-se a partir da descrio do conjunto de atividades executadas que o essencial ao aceitar o desafio de coordenar o centro de exames de um estudo multicntrico permitir-se aprender algo novo e desenvolver aes que provavelmente no havia desenvolvido em sua atuao profissional anteriormente. Porm, apropriar-se de instrumentos e fundamentaes tericas gerais como base para gerenciamento em enfermagem e aplicalo prtica e atuao em centros de pesquisas.

Observa-se que grande parte das atividades desenvolvidas pelo profissional coordenador do centro de exames, so medidas aplicveis a todos os campos de atuao da enfermagem. E foram inerentes tomada de deciso e proatividade do profissional coordenador. A partir do conhecimento, habilidade e atitudes de vivncia desenvolvidas pelo profissional.

Evidencia-se que a vivncia contribuiu com a qualificao profissional e pessoal do colaborador em questo, possibilitando o desenvolvimento e estruturao do estudo para a realizao dos exames dos voluntrios. Porm, essa contribuio refletiu-se ainda para toda a equipe interprofissional, que a partir de uma liderana, permitiu-se desenvolver suas atribuies, como coleta de dados e realizao de exames. O lder de equipe tem essa atribuio, dar estrutura, preparo e condies para que seus liderados desenvolvam suas atividades com qualidade e segurana.

Esta prtica inovadora de gerenciar projetos de pesquisa, apresenta-se em construo, e o artigo contribui para a atuao de um profissional crtico-reflexivo, que poder dar continuidade a esse processo de insero do profissional enfermeiro em pesquisa. Para isso, faz-se necessria a formao de enfermeiros, no exerccio da prtica reflexiva, com olhar no apenas voltado para o eixo assistencial da atuao de enfermagem, mas tambm aberto ao gerenciamento, ao ensino e a pesquisa.

Em concluso, considera-se de extrema importncia os enfermeiros em atuao gerencial, assumirem papel de liderana, como motivadores e instigadores de seus liderados. No apenas na coordenao de pesquisas, mas nas diversas reas de atuao do profissional. Baseado sempre em referenciais tericos, instrumentos, teorias e estudos cientficos, pois a enfermagem faz-se a partir das evidncias e construo terica.

Destaca-se ainda, a importncia de manter o profissional enfermeiro como coordenador do centro de exames para continuidade das aes e participao na introduo de novos processos, citando a aquisio de novos equipamentos, execuo de novos exames, controle de manuteno e calibrao dos equipamentos, estruturao de novas ferramentas gerenciais, superviso de equipe, controle de qualidade, prticas seguras em sade, viso integral do voluntrio e aes crticos-reflexivas voltadas ao cuidado de voluntrios de pesquisa.

 

REFERNCIAS BIBLIOGRAFICAS

1. Kian KO, Matsuda LM, Waidmann MA. Understanding the daily work of the nurse-leader. Rev Rene. 2011;12(4):724-31.

2. Bernardes A, Cummings G, vora YD, Gabriel CS. Framing the difficulties resulting from implementing a Participatory Management Model in a public hospital. Rev Latinoam Enferm. 2012;20(6):1142-51.

3. Cardoso L da S. Exerccios e notas para formular uma pesquisa. Rio de Janeiro: Papel Virtual; 2000.

4. Kurcgant Paulina [coord.]. Gerenciamento em Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Kogan; 2005.

5. Hausmann M, Peduzzi M. Articulao entre as dimenses gerencial e assistencial do processo de trabalho do enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2009;18(2):258-65.

6. Santos AS, Miranda SMRC. A enfermagem na gesto em ateno primria sade. So Paulo: Manole; 2007.

7. Paim L, Trentini M, Silva Jochen AA. Desafios pesquisa em enfermagem. Esc Anna Nery. 2010;14(2):386-90.

8. Kurcgant P, Ciampone MHT, Melleiro MM. O planejamento nas organizaes de sade: anlise da viso sistmica. Rev Gacha Enferm, Porto Alegre (RS). 2006;27(3):351-5.

9. Leite JC. Negociao. Rev. adm. empres. 2004;44(3):127.

10. Peres HHC, Leite MMJ, Gonalves VLM. Educao continuada: recrutamento e seleo, treinamento e desenvolvimento, e avaliao de desempenho profissional. In: Kurcgant P, coordenadora. Gerenciamento em enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005. p. 138-56.

11. Furukawa PO, Cunha ICKO. Da gesto por competncias s competncias gerenciais do enfermeiro. Rev. bras. enferm. 2010;63(6):1061-66.

12. Guerrero GP, Beccaria LM, Trevizan MA. Procedimento operacional padro: utilizao na assistncia de enfermagem em servios hospitalares. Rev Latino-Am. Enfermagem. 2008;16(6):966-72.

  1. Andrade FF. O Mtodo de Melhorias PDCA (dissertao). So Paulo: Escola Politcnica, Universidade de So Paulo; 2003.

14. Lima AFC, Kurganct P. Indicadores de qualidade no gerenciamento de recursos humanos em enfermagem. Rev. bras. enferm. 2009;62(2):234-9.

15. Motta PR. Gesto contempornea: a cincia e a arte de ser dirigente. 2a ed. Rio de Janeiro: Record; 1998.

16. DAmour D, Oandasan I. Interprofessionality as the field of interprofessional practice and interprofessional education: An emerging concept. Journal of Interprofessional Care. 2005;(Suppl 1):8-20.

17. Almeida AG de, Borba JA, Flores LCS. A utilizao das informaes de custos na gesto da sade pblica: um estudo preliminar em secretarias municipais de sade do estado de Santa Catarina. Rev. Adm. Pblica. 2009;43(3):579-607.

 

 

Recibido: 2015-06-10.
Aprobado: 2017-04-12.

 

 

Las Carolini Theis. Universidade de Blumenau. Santa Catarina, Brasil. Direccin electrnica: laistheis@gmail.com

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2017 Revista Cubana de Enfermería

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.