Epidemiologia da leishmaniose visceral em crianças no município de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil

Patrick Leonardo Nogueira da Silva, Patrícia Fernandes do Prado, Ricardo Soares de Oliveira, Simone Guimarães Teixeira Souto, Kênia Prates Batista, Tereza Cristina Silva Bretas

Texto completo:

HTML (Português (Brasil))

Resumen

Introdução: a Leishmaniose Visceral é uma doença infecciosa cujo agente etiológico é um protozoário do gênero Leishmania. Trata-se de um grave problema de saúde pública com prevalência na região nordeste do Brasil.
Objetivo: identificar o perfil epidemiológico dos casos de Leishmaniose Visceral em crianças no município de Montes Claros, Minas Gerais.
Métodos: foi realizada uma investigação retrospectiva dos casos confirmados de Leishmaniose Visceral, na faixa etária de 0 a 12 anos, notificados ao Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN), no período de 2009 a 2011.
Resultados: foram confirmados 37 casos de Leishmaniose Visceral em crianças, sendo a maioria (94,59 %) procedente da zona urbana. Verificou-se que 51,36 % eram do sexo feminino e a faixa etária entre 1 a 4 anos (54,05 %) foi a mais acometida pela doença. Os principais sinais e sintomas apresentados pelos casos foram febre (100 %), esplenomegalia (100 %), hepatomegalia (92 %) e palidez (92 %). No que se refere à evolução dos casos, 35 crianças (94,59 %) tiveram cura e dois (5,41 %) evoluíram para óbito.
Conclusão: os resultados contribuem para o conhecimento das características da Leishmaniose Visceral na população infantil de Montes Claros, caracterizado como área endêmica da doença.

Palabras clave

Criança; Epidemiologia; Leishmaniose Visceral; Saúde Coletiva

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2017 Revista Cubana de Enfermería

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.