Saúde mental no trabalho do Enfermeiro da Atenção Primária de um município no Brasil

Bianca Pereira Coelho, Ana Paula Maia da Silva, Luís Paulo Souza e Souza, Kenya Marielle Almeida e Silva, Edilaine Pereira da Silva, Ilka Santos Pinto, Rafael Messias de Oliveira, Carla Silvana Oliveira e Silva

Texto completo:

HTML

Resumen

Introdução: de todos os males vividos pelo homem, a loucura, a doença mental e o sofrimento psíquico e emocional parecem atingir indistintamente pessoas de qualquer nacionalidade, raça, classe social e religião. Contudo, sabe-se que os mais pobres são os que mais padecem pela falta de atenção e cuidado.
Objetivou: compreender como se desenvolve a preparação e qual o conhecimento que os enfermeiros que atuam na Estratégia Saúde da Família de Montes Claros - Minas Gerais apresentam sobre Saúde Mental para atendimento a pacientes com transtornos psíquicos.
Métodos: pesquisa qualitativa e exploratória, realizada com oito enfermeiros que atuavam na Atenção Primária à Saúde do meio urbano de Montes Claros. Os dados foram coletados no segundo semestre de 2011, por meio de entrevistas, que foram gravadas e, em seguida, transcritas. Para análise dos dados, foi utilizada a técnica de análise do conteúdo.
Resultados: os entrevistados relataram que se sentiam preparados para lidar com seus pacientes e que conheciam os principais transtornos, mas poucos foram capazes de detalhar esse conhecimento. As capacitações e curso de residência foram citados como preparação, mas a insegurança e tempo disposto para lidar com esses pacientes foram impasses para um bom cuidado.
Conclusões: é preciso maior preparação dos enfermeiros na área de saúde mental, a fim de proporcionar atendimento resolutivo aos pacientes que demandas tais cuidados.

Palabras clave

Saúde Mental; Enfermagem; Saúde da Família; Atenção Primária à Saúde.

Referencias

Andrade FB, Bezerra AIC, Pontes ALF, Filha MOF, Vianna RPT, Dias MD et al. Saúde mental na atenção básica: um estudo epidemiológico baseado em foco de risco. Rev bras enferm. 2009;62(5):675-80.

Gonçalves DM, Kapczinski F. Transtornos mentais em comunidade atendida pelo Programa Saúde da Família. Cad Saúde Pública. 2008;24(7):1641-50.

Silveira DP, Vieira ALS. Saúde mental e atenção básica em saúde: análise de uma experiência no nível local. Ciênc saúde coletiva. 2009;14(1):139-48.

Gomes MS, Mello R. Sobrecarga gerada pelo convívio com o portador de esquizofrenia: enfermagem construindo o cuidado à família. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog [internet]. 2012 [citado 2012 dez 25];8(1):2-8. Disponível em:

Caixeta CC, Moreno V. O enfermeiro e as ações de saúde mental nas unidades básicas de saúde. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2008 [citado 2010 fev 03];10(1):179-188. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v10/n1/v10n1a16.htm

Ribeiro LM, Medeiros SM, Albuquerque JS, Fernandes SMBA. Saúde mental e enfermagem na estratégia saúde da família: como estão atuando os enfermeiros? Rev esc enferm USP. 2010;44(2):376-82.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2009.

Neves HG, Lucchese R, Munari DB. Saúde mental na atenção primária: necessária constituição de competências. Rev Bras Enferm. 2010;63(4):666-70.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Saúde Mental e Atenção Básica: o vínculo e o diálogo necessários. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

Nunes Filho EP, Bueno JR, Nardi AE. Psiquiatria e Saúde Mental: Conceitos Clínicos e Terapêuticos Fundamentais. São Paulo: Atheneu, 2005.

Miranda SP, Vargas D. Satisfação de pacientes de um centro de atenção psicossocial álcool e drogas com o atendimento do enfermeiro. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog [internet]. 2009 [citado 2012 dez 21];5(2):1-15. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/smad/v5n2/07.pdf

Pinto AGA, Jorge MSB. Prática clínica em saúde mental no cotidiano do Centro de Atenção Psicossocial. Cogitare Enferm. 200;14(2):217-26.

Leão A, Barros S. As representações sociais dos profissionais de saúde mental acerca do modelo de atenção e as possibilidades de inclusão social. Saude soc. 2008;14(1):95-106.

Matos BG, Orichio APC, Mendonça VF. Residência Terapêutica: Um modelo alternativo de atendimento aos pacientes psiquiátricos. R pesq: cuid fundam [internet]. 2010;2(ed.Supl.):410-2. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/961/pdf_164

Leão A, Barros S. Inclusão e exclusão social: as representações sociais dos profissionais de saúde mental. Interface – Comunic., Saude, Educ. 2012;15(36):137-52.

Mielke FB, Kantorski LP, Jardim VMR, Olschowsky A, Machado MS. O cuidado em saúde mental no CAPS no atendimento dos profissionais. Ciênc saúde coletiva. 2009;14(1):159-64.

Kantorski LP, Wetzel C, Olschowsky A, Jardim VMR, Coimbra VCC, Schneider JF et al. Avaliação qualitativa no contexto da reforma psiquiátrica. SMAD, Rev. Eletrônica Saúde Mental Álcool Drog [internet]. 2010 [citado 2012 dez 25];6(n.spe):387-408. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/smad/v6nspe/03.pdf

Chiavagatti FG, Kantorski LP, Willrich JQ, Cortes JM, Jardim VMR, Rodrigues CGSS. Articulação entre Centros de Atenção Psicossocial e Serviços de Atenção Básica de Saúde. Acta paul enferm. 2012;25(1):11-7.

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2015

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional.